Chile: Santiago – Andando de metrô pela cidade

Uma das principais formas através da qual nos locomovemos em Santiago foi com a utilização do metrô. Nós ainda não tínhamos usado esse meio de transporte tão exaustivamente quanto usamos nessa viagem. E apesar dele parecer pequeno, o metrô de Santiago possui mais de 100 km de extensão e 108 estações que são divididas entre 5 linhas. Devido a esse esse enorme intercâmbio de linhas resolvemos escrever um pouco sobre isso.

Metrô_Santiago_Chile

O Metrô
Em Santiago, sistema do metrô possui 5 linhas que são identificadas por número e cor:
– Linha 1 (vermelha): San Pablo x Los Dominicos;
– Linha 2 (laranja): Vespucio Norte x La Cisterna;
– Linha 4 (azul escura): Tobalaba x Plaza de Puente Alto;
– Linha 4A (azul clara): Vicuña Mackenna x La Cisterna;
– Linha 5 (cinza): Plaza de Maipú x Vicente Valdés.

Apesar de serem muitas linhas e todas elas se intercambiando, esse é um meio de transporte muito fácil de ser usado. No geral, o metrô de Santiago é bem parecido com o que temos no Rio de Janeiro, a grande diferença é que no Rio temos apenas 2 linhas e em Santiago são 5 linhas. Cada lado da plataforma vai para uma direção diferente e caso você passe da estação pode retornar sem pagar nova tarifa.

Conexão do Metrô de Santiago com Aeroporto
Já lemos em alguns lugares que apesar do aeroporto não ter conexão direta com o metrô é possível sair dele e utilizar o metrô para chegar aos demais bairros da cidade. Nós usamos o transfer da Transvip. Mas aqui fica a dica de como sair do aeroporto de uma forma mais econômica.

Para isso, utilize o serviço de ônibus chamado de Centropuerto que faz o trajeto aeroporto x centro de Santiago. O ponto desse ônibus se localiza na saída do aeroporto e ele é bem identificado. Inclusive, nós vimos esse ponto enquanto esperávamos nossa van da Transvip.

Durante o percurso, o Centropuerto passará por algumas estações do metrô como as das linhas 5 – estação Barrancas, Linhas 1 – estações Pajaritos, La Rejas, San Alberto Hurtado, U. de Santiago, Estación Central, U.L.A. e Los Heróes. Também na Linha 1 tem algumas estações, como: Los Heróes, Estación Central, U. de Santiago, San Alberto Hurtado, Las Rejas e Pajaritos que são ideais para quem vai para o centro de Santiago.

Comprando os bilhetes
Nós andamos de metrô todos os dias em que estivemos em Santiago e achamos que a melhor opção é a compra de bilhetes avulsos por dois motivos. Primeiro, algumas atrações são bastante perto umas das outras, é possível que você não precise de muitos bilhetes. Segundo, o valor do bilhete varia de acordo com o horário e dia da semana:

– Segunda-feira à sexta-feira:
Horário de Pico (7h – 9h e 18h – 20h): 700 Pesos Chilenos
Horário Médio (6h30min – 7h, 9h – 18h, 20h – 20h45min): 640 Pesos Chilenos
Horário Fora de Pico (6h – 6h30min, 20h45min às 23h): 590 Pesos Chilenos

– Sábados, Domingos e Feriados:
Todos os Horários: 640 Pesos Chilenos

Um detalhe importante é que se você comprou um bilhete no horário fora de pico, não usou e quer usá-lo no horário de pico, ele não irá funcionar e você terá que pagar a diferença na bilheteria. Ou seja, para nós turistas talvez o melhor seja a compra na hora do uso, assim sabemos exatamente quanto será a tarifa.

Horário de Funcionamento
O metrô de Santiago funciona nos seguintes horários:
segunda-feira à sexta-feira – das 6h às 23h30min;
sábados – das 6h30min às 23h30min;
domingos e feriados – das 8h às 23h.

O fechamento e abertura de algumas estações variam um pouco em relação aos horários acima.

Nós pegamos o metrô num dia de semana quase fechando e tudo aconteceu normalmente. Por isso, indicamos o uso do metrô por ser barato e eficiente.

Que tal seguir a gente no Instagram tem muitas fotos rolando por lá!

Viagem realizada em Novembro de 2014.

LEIA MAIS:
Chile: Que moeda levar?
Chile: Utilizando transfer dos aeroportos para Santiago e San Pedro de Atacama
Chile: Casa Museu Isla Negra, a casa mais bonita de Pablo Neruda

Posted in AMERICA DO SUL, CHILE, SANTIAGO and tagged , , , , , , .
Tatiane Dias

Tatiane Dias

A cada dia me desapego mais e mais de bens materiais. A vida nos mostra que mais importante que ter é viver. Por isso, cada brecha que temos já começo a pensar em algum lugar pra ir seja no Rio ou fora dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *