Chile: Los Cuates – Comida Mexicana

Depois de nossas andanças pela casa-museu de Pablo Neruda, região da Plaza de Armas e a Catedral Metropolitana, resolvemos procurar alguma lugar para almoçar. Chegamos até a procurar lugares pelo centro, mas nada nos agradou muito, então, resolvemos voltar para região onde se localizava onde estávamos hospedados, em Providência.

Nós já tínhamos reparado que em sua rua tinha vários restaurantes e resolvemos almoçar por lá para descansarmos um pouco depois do almoço.

Foi nesse dia que o cansaço do Deserto ao Atacama nos atacou e eu cheguei a ter um principio de febre que foi logo combatido para podermos aproveitarmos nossos próximos dias na cidade.

Por conta de tudo isso, demos uma olhada nas dicas de restaurantes da região e escolhemos o com melhores comentários na internet: Los Cuates.

Los Cuates
É um restaurante mexicano. Nós chegamos lá entre 14 horas e 15 horas e estava bem vazio, acho que tínhamos nós e mais 2 mesas e umas pessoas no balcão. Por conta disso, o atendimento foi muito rápido e a comida estava bastante saborosa.

Restaurante_Los_Cuates_Chile-3

Restaurante_Los_Cuates_Chile-4

Pedimos 2 porções de tacos diferentes: carne e frango. Bebemos micheladas, mesmo com febre. E finalizamos como um crepe de doce de leite.

Restaurante_Los_Cuates_Chile-2

Restaurante_Los_Cuates_Chile

Tudo estava muito gostoso e imaginamos que a noite o local deve ser bem mais movimentado do que no horário que fomos.

Restaurante_Los_Cuates_Chile-6

Restaurante_Los_Cuates_Chile-5

Que tal seguir a gente no Instagram tem muitas fotos rolando por lá!

Dados Financeiros:
Dois pratos, sobremesa e micheladas: CLP $21.400,00 = US$ 35,62 = R$ 93,32

Viagem realizada em Novembro de 2014.

LEIA MAIS:<
Chile: Santiago – Parque Bustamante
Chile: Santiago – Cerro San Cristóbal
Chile: Santiago – Andando de metrô pela cidade

Posted in AMERICA DO SUL, CHILE, GASTRONOMIA, SANTIAGO and tagged , , , , , .
Tatiane Dias

Tatiane Dias

A cada dia me desapego mais e mais de bens materiais. A vida nos mostra que mais importante que ter é viver. Por isso, cada brecha que temos já começo a pensar em algum lugar pra ir seja no Rio ou fora dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *